search.noResults

search.searching

note.createNoteMessage

search.noResults

search.searching

orderForm.title

orderForm.productCode
orderForm.description
orderForm.quantity
orderForm.itemPrice
orderForm.price
orderForm.totalPrice
orderForm.deliveryDetails.billingAddress
orderForm.deliveryDetails.deliveryAddress
orderForm.noItems
EDITORIAL


Um exemplo que não deve ser esquecido


O


Cláudio Marçal Freire


Leonardo Munari de Lima EXPEDIENTE


Brasil é um País que vive de rompantes. O que é o ideal em um determinado momento de nossa história já não funciona em outra circunstância. Somos capazes de ido- latrar e logo em seguida defenestrar ídolos do futebol, empresários, economistas e, logicamente, presidentes da República. A popularidade de hoje, longe de deixar seu personagem em berço esplêndido, é um aviso de que algo está por vir.


Se esta é a realidade intrínseca ao povo brasileiro, seja qual for sua área de atuação,


não poderia deixar de ser verdade quando avistamos o sistema extrajudicial brasileiro, no qual operam notários e registradores. Nossas Constituições e mesmo os movi- mentos democráticos ou repressivos de nossa história, fizeram com que a população pudesse sentir as diferenças entre o serviço privado e estatal praticado pelos cartórios brasileiros. Desde a redemocratização do País e a edição da Constituição Federal de 1988, os serviços notariais e registrais brasileiros se tornaram privados, com exceção a dois Estados brasileiros, que mantiveram os sistemas determinados por suas legislações estaduais: o Acre e a Bahia. Em 2010, o Estado do Norte do Brasil cumpriu determinação do Conselho Nacional


de Justiça (CNJ) privatizando de forma coerente suas delegações, tornando-as sus- tentáveis e atraentes para o sistema privado, baseado na meritocracia do concurso público. Não à toa, o processo contou com a participação efetiva da Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg/BR), que demonstrou às autoridades locais as discrepâncias e dificuldades de outras unidades federativas. Passados 29 anos da Constituição Federal, o Estado da Bahia encerrou no início de janeiro o processo pelo qual as delegações estatizadas foram transferidas à iniciativa privada. Após aprovação de Lei Estadual em 2012, o Tribunal de Justiça local enfren- tou 13 mil processos para finalizar o 1º Concurso Público para Cartórios, considerado este o maior do Brasil. Com isto, outras 662 delegações passam a contar com notários e registradores concursados, juntando-se àqueles que, concursados pelo TJ-BA, fize- ram a opção pelo serviço privado. Para que a realidade vivida pelo povo baiano durante o processo de estatização


não fique perdida na história, a Revista Cartórios com Você foi a Salvador, Feira de Santana e Juazeiro, três cidades importantes da Bahia, mostrar as diferenças entre os serviços privatizados e estatais, assim como a dificuldade enfrentada pela população local para usufruir de um atendimento de qualidade. Embora não completo, uma vez que a sustentabilidade inviabiliza a escolha de mais


de 700 cartórios do Estado, a Bahia começa a dar os primeiros passos para a promo- ção de um serviço de qualidade, digno do século XXI. Como bem disse a ministra Elia- na Calmon: “A estatização dos cartórios na Bahia foi o exemplo do que não funciona”.


Cláudio Marçal Freire Presidente do Sinoreg/SP Leonardo Munari de Lima Presidente da Anoreg/SP


“Passados 29 anos da Constituição Federal, o Estado da Bahia


encerrou no início de janeiro o processo pelo qual as delegações estatizadas foram transferidas à iniciativa privada”


Cartório com Você 3


A Revista Cartório com Você é uma publicação bimestral do Sindicato dos Notários e Registra- dores do Estado de São Paulo (Sinoreg-SP) e da Associação dos Notários e Registradores de São Paulo (Anoreg-SP), voltada aos operadores do Direito e integrantes dos Poderes Judiciário, Legislativo e Executivo das esferas municipais, estaduais e federal.


O Sinoreg-SP e a Anoreg-SP não se responsabili- zam pelos artigos publicados na revista, cuja opin- ião expressa somente as ideias de seus respec- tivos autores. É proibida a reprodução total ou parcial dos textos sem autorização dos editores.


Endereços:


Sinoreg-SP: Largo São Francisco, 34 – 8º andar Centro – São Paulo – SP


Cep: 01005-010 – Tel. (11) 3106-6946 Anoreg-SP: Rua Quintino Bocaiúva, 107 8º andar – Centro – São Paulo – SP Cep: 01004-010 – Tel. (11) 3105-8767


Sites:


www.sinoregsp.org.br www.anoregsp.org.br


Presidentes: Cláudio Marçal Freire (Sinoreg-SP)


Leonardo Munari de Lima (Anoreg-SP) Coordenação/Edição:


Alexandre Lacerda Nascimento Redação:


Belisa Frangione Jennifer Anielle Larissa Luizari


Karen Mascareñas


Projeto Gráfico e editoração: Mister White


Impressão e CTP: JS Gráfica e Editora - (11) 4044-4495


js@jsgrafica.com.br - www.jsgrafica.com.br Tiragem:


3.000 exemplares


Colabore conosco enviando sugestões, críticas ou notícias para o e-mail: imprensa@anoregsp.org.br .


Não jogue este impresso em via pública.


Foto: Cartórios com Você


Foto: Cartórios com Você


Page 1  |  Page 2  |  Page 3  |  Page 4  |  Page 5  |  Page 6  |  Page 7  |  Page 8  |  Page 9  |  Page 10  |  Page 11  |  Page 12  |  Page 13  |  Page 14  |  Page 15  |  Page 16  |  Page 17  |  Page 18  |  Page 19  |  Page 20  |  Page 21  |  Page 22  |  Page 23  |  Page 24  |  Page 25  |  Page 26  |  Page 27  |  Page 28  |  Page 29  |  Page 30  |  Page 31  |  Page 32  |  Page 33  |  Page 34  |  Page 35  |  Page 36  |  Page 37  |  Page 38  |  Page 39  |  Page 40  |  Page 41  |  Page 42  |  Page 43  |  Page 44  |  Page 45  |  Page 46  |  Page 47  |  Page 48  |  Page 49  |  Page 50  |  Page 51  |  Page 52  |  Page 53  |  Page 54  |  Page 55  |  Page 56  |  Page 57  |  Page 58  |  Page 59  |  Page 60  |  Page 61  |  Page 62  |  Page 63  |  Page 64  |  Page 65  |  Page 66  |  Page 67  |  Page 68  |  Page 69  |  Page 70  |  Page 71  |  Page 72  |  Page 73  |  Page 74  |  Page 75  |  Page 76  |  Page 77  |  Page 78  |  Page 79  |  Page 80