This page contains a Flash digital edition of a book.
2.


A sorte do plane- jamento. Nos ne- gócios, a maior parte


do sucesso de uma empresa ou marca depende do trabalho realizado pelas pessoas que estão envolvidas nela, mas também existe a sorte. “Temos a sorte de lançar os produtos certos, no momento exato e enquanto isso é, em parte, uma questão de sorte, há tam- bém uma grande quantidade de estudo e planejamento.”


3.


sabe que ele existe. “Desde o primeiro momento fi zemos importantes campa- nhas de marketing para ter a certeza de que o público conhecesse a Robe.”


um grande departamento de Pesquisa & Desenvolvimento, mas o segredo é escutar as pessoas que vão usar aquele produto. “Dedicar tempo para enten- der como os profi ssionais trabalham e como eles usam os seus aparelhos; en- tender também as diferenças culturais e do meio ambiente é outra chave para nossa estratégia. Nossos produtos não são projetados por uma comissão de especialistas que pensam saber o que os clientes precisam e desejam; foram,


4. 5.


Todo o feedback possível. Na hora de criar ou melhorar um equipamento é ótimo ter


Ser uma família. Uma grande ideia é mais fácil de ser


colocada em prática se existe gente que te ajuda. “Sem- pre colocamos um grande esforço em encontrar as pessoas certas para trabalhar, que sejam leais e dedicadas. Pessoas realmente boas em suas atividades.”


Estar sempre presente. De nada serve ter o melhor produto se o público não


sim, fabricados depois de conside- rarmos pontos de vista de um grande número de pessoas, de diferentes trabalhadores de todas as áreas da indústria de iluminação.”


A central europeia Com uma equipe dedicada, não ad- mira que a marca tenha quase 70 pa- tentes registradas ao longo de 20 anos, tudo graças aos engenheiros que com- põem o seu departamento de Pesquisa & Desenvolvimento. Essa equipe tra- balha em tempo integral e de maneira muito próxima com os departamentos técnico e de vendas, todos controlados em sua sede europeia, em Valasske Mezirici, na República Checa. Nessa sede se realiza o processo


completo, desde a concepção até a fabricação, passando pelos testes dos protótipos. Também é de lá que a Robe nutre a sua rede de distribuidores, em 90 países. “A sede europeia é muito importante para a gente. Temos mui- to orgulho de nossos produtos serem fabricados dentro da Europa, na Repú- blica Checa”, declara Valchar.


@musicaemercado


Menor, mais leve e mais brilhante Se existe algo que a crise europeia ensinou a todos os profi ssionais, sem importar o setor em que atuam, é que os recursos econômicos, por mais amplos e inesgotáveis que pareçam, cedo ou tarde acabam. O executivo nos revelou que agora a maioria das empresas mudou a sua política econô- mica interna, gastando o dinheiro de maneira muito mais inteligente. “Uma das novidades é o aluguel comparti- lhado entre as empresas”, exemplifi ca o cofundador da Robe. Contudo, o que os clientes mais


pedem à marca? Qual é a primeira e mais importante de suas demandas? Segundo o executivo, atualmente a in- dústria de iluminação passa por uma fase em que tudo tende a ser “menor, mais leve e mais brilhante”. “É uma tendência que também se vê em ou- tras indústrias. Vide, por exemplo, o conceito ecofriendly. A tendência de serem cada vez mais verdes e mais conscientes das emissões de carbono defi nitivamente vai crescer”, fi nalizou.


fb.com/musicaemercado www.musicaemercado.com.br 65


Parte da linha de produção e detalhe do depósito da fábrica


Page 1  |  Page 2  |  Page 3  |  Page 4  |  Page 5  |  Page 6  |  Page 7  |  Page 8  |  Page 9  |  Page 10  |  Page 11  |  Page 12  |  Page 13  |  Page 14  |  Page 15  |  Page 16  |  Page 17  |  Page 18  |  Page 19  |  Page 20  |  Page 21  |  Page 22  |  Page 23  |  Page 24  |  Page 25  |  Page 26  |  Page 27  |  Page 28  |  Page 29  |  Page 30  |  Page 31  |  Page 32  |  Page 33  |  Page 34  |  Page 35  |  Page 36  |  Page 37  |  Page 38  |  Page 39  |  Page 40  |  Page 41  |  Page 42  |  Page 43  |  Page 44  |  Page 45  |  Page 46  |  Page 47  |  Page 48  |  Page 49  |  Page 50  |  Page 51  |  Page 52  |  Page 53  |  Page 54  |  Page 55  |  Page 56  |  Page 57  |  Page 58  |  Page 59  |  Page 60  |  Page 61  |  Page 62  |  Page 63  |  Page 64  |  Page 65  |  Page 66  |  Page 67  |  Page 68  |  Page 69  |  Page 70  |  Page 71  |  Page 72  |  Page 73  |  Page 74  |  Page 75  |  Page 76  |  Page 77  |  Page 78  |  Page 79  |  Page 80  |  Page 81  |  Page 82  |  Page 83  |  Page 84  |  Page 85  |  Page 86  |  Page 87  |  Page 88  |  Page 89  |  Page 90  |  Page 91  |  Page 92  |  Page 93  |  Page 94  |  Page 95  |  Page 96  |  Page 97  |  Page 98  |  Page 99  |  Page 100  |  Page 101  |  Page 102  |  Page 103  |  Page 104