This page contains a Flash digital edition of a book.
OPINIÃO


Por Sydnei Carvalho Guitarrista, fi lósofo e gerente de


A Copa do Mundo é um bom produto


ois bem, às vésperas de um dos eventos esportivos mais impor- tantes do mundo e, sem dúvi-


da, uma das maiores paixões nacionais, todos os departamentos de marketing e propaganda deste país devem ter, em determinado momento, questionado a possibilidade de ligar sua marca à Copa do Mundo. Afi nal, é uma associação que pode ser feita sem custos. Teoricamen- te, quase todos os brasileiros gostam de futebol e, sendo o evento no Brasil, todos teriam grandes oportunidades de gerar negócios, não é? Talvez, mas não com- partilho dessa posição. Primeiro precisamos refl etir sobre


quem distribui ou fabrica cordas para ins- trumentos de orquestra; assim acontece com guitarristas, baixistas, bateristas e vo- calistas, que, apesar de andarem sempre juntos, são indivíduos muito diferentes e devem ser tratados como tal, caso queira- mos realmente atingi-los pelo marketing e pela propaganda de nossas empresas.


Você sabe? O ponto importante a ser ponderado é,


quem é o nosso consumidor, o momento histórico e político que estamos vivendo e, acima de tudo, como queremos que nossa marca seja vista. Defi nitivamente, o consumidor dos


produtos musicais é uma classe bastante diferenciada, e dentro desse segmento te- mos diversas tribos — aquele que comer- cializa instrumentos de percussão popular não pode usar a mesma linguaguem de


portanto, quem é o seu consumidor. Es- taria ele realmente conectado de forma positiva ao futebol, em especial ao evento Copa do Mundo? Para responder melhor a essa pergunta, teremos de meditar so- bre a classe sociocultural desse consumi- dor e o quanto ele está ligado à internet e às redes sociais. Nunca estivemos em um momento como este, em que as redes sociais são de extrema importância para a formação da opinião das pessoas. Sua empresa faz uso das redes so-


ciais de forma ativa, diariamente, geran- do conteúdo e mantendo relação direta com o cliente? Se faz, é possível saber


Devemos usar todas as ferramentas que temos para nos especializar em conhecer nosso consumidor ou erraremos ao falar com ele


38 www.musicaemercado.com.br @musicaemercado fb.com/musicaemercado


marketing e A&R da NIG Music. Contatos: www.facebook.com/SydneiCarvalho e www.sydneicarvalho.com.br


para nossas empresas? P


SEMPRE QUE ASSOCIAMOS UMA MARCA A ALGUMA OUTRA, UM DOS OBJETIVOS PRINCIPAIS E MAIS IMEDIATOS DESSA ASSOCIAÇÃO É TRAZER VALOR E GERAR INTERESSE DOS CONSUMIDORES, CERTO?


a opinião deste consumidor em relação aos eventos políticos atuais e entender como ele tem enxergado o Brasil de ago- ra. Como trabalhamos com um nicho de mercado bem pequeno — e dentro desse nicho cada segmento musical ainda tem o seu —, a última coisa que um departa- mento sério e inteligente de marketing deve fazer é generalizar. Devemos usar todas as ferramentas que temos para nos especializar em conhecer nosso consu- midor ou erraremos ao falar com ele.


A força de um nome Outro ponto tão importante quanto


o anterior é saber exatamente o que queremos de nossas marcas. Saber como vamos construir esses nomes tão importantes, independentemente dos even tos passageiros e modismos mo- mentâneos. A construção de uma mar- ca é a garantia mais segura de sucesso e lucratividade ao longo dos anos. Identifi cadas essas questões, tenho


de chamar a atenção de todos: nunca passamos por um momento político como este, em que os valores gastos para produzir a Copa têm causado náu- sea em muitas pessoas. Em que mesmo as classes mais humildes têm acesso à internet e fi cam horrorizadas com a bandalheira que o governo tem feito com nossos impostos. Nunca fi cou tão clara e vigente a falta de patriotismo dos


Page 1  |  Page 2  |  Page 3  |  Page 4  |  Page 5  |  Page 6  |  Page 7  |  Page 8  |  Page 9  |  Page 10  |  Page 11  |  Page 12  |  Page 13  |  Page 14  |  Page 15  |  Page 16  |  Page 17  |  Page 18  |  Page 19  |  Page 20  |  Page 21  |  Page 22  |  Page 23  |  Page 24  |  Page 25  |  Page 26  |  Page 27  |  Page 28  |  Page 29  |  Page 30  |  Page 31  |  Page 32  |  Page 33  |  Page 34  |  Page 35  |  Page 36  |  Page 37  |  Page 38  |  Page 39  |  Page 40  |  Page 41  |  Page 42  |  Page 43  |  Page 44  |  Page 45  |  Page 46  |  Page 47  |  Page 48  |  Page 49  |  Page 50  |  Page 51  |  Page 52  |  Page 53  |  Page 54  |  Page 55  |  Page 56  |  Page 57  |  Page 58  |  Page 59  |  Page 60  |  Page 61  |  Page 62  |  Page 63  |  Page 64  |  Page 65  |  Page 66  |  Page 67  |  Page 68  |  Page 69  |  Page 70  |  Page 71  |  Page 72  |  Page 73  |  Page 74  |  Page 75  |  Page 76  |  Page 77  |  Page 78  |  Page 79  |  Page 80  |  Page 81  |  Page 82  |  Page 83  |  Page 84  |  Page 85  |  Page 86  |  Page 87  |  Page 88  |  Page 89  |  Page 90  |  Page 91  |  Page 92  |  Page 93  |  Page 94  |  Page 95  |  Page 96  |  Page 97  |  Page 98  |  Page 99  |  Page 100  |  Page 101  |  Page 102  |  Page 103  |  Page 104