This page contains a Flash digital edition of a book.
Entrevista “ASSEMBLEIAS DE FREGUESIA AINDA SÃO POUCO PARTICIPADAS!“


Manuel Ferreira Araújo, o novo presidente da J. F. de Amora


Iniciou-se a entrevista com uma frase expressada por ele no acto de posse, para este cargo, e cito... “O sentimento que me domina é antes de tudo um sentimento de responsabilidade, mas também um sentimento de quem se sente orgulhoso e honrado por ter a oportunidade de poder continuar a servir a Freguesia”.


A


minha primeira pergunta é: Alguma vez pensou sentar-se nesse cadei- rão?


Nós quando entramos nesta vida autár- quica, normalmente, não temos logo um objectivo definido de chegar á presidên- cia de uma Junta ou de uma Câmara, de qualquer forma eu já fazia parte do ante- rior Executivo, era o número dois da lista, e à partida seria sempre um candidato ao cargo e mais tarde ou mais cedo poderia recair esta função na minha pessoa. No “site” da Junta, uma das frases in- seridas, e que salta á vista é a seguinte: “ONDE VALE A PENA VIVER”


Qual é a percentagem desta certeza? Cem por cento, sem dúvida. Acho que vale a pena viver, ainda que não se te- nham alcançado todos os objectivos, na qualidade de vida, nas diversas vertentes, mas vale a pena viver nesta terra, vale a pena trabalhar por ela. Amora é uma Fre- guesia cheia de potencialidades.


Já há alguns meses que o Boletim da


Junta não é visível. Deixou de ser publica- do, ou aparece quando é possível? Sim, é um pouco isso. Aparece quando é possível, mas também queremos alterar essa situação. Estamos a pensar em pu- blicar um Boletim por ano, que faça o re- sumo de todo o trabalho realizado nesses 365 dias, e um outro mais pequeno, mas com mais periodicidade, na ordem de 2 em 2 meses, que poderá ser uma folha in- formativa, por exemplo, e, que, de alguma forma, descreva as actividades realizadas nesse curto espaço de tempo.


Veio substituir Odete Gonçalves, autarca que deixou, enquanto Presidente, um vasto trabalho executado em todas as vertentes. No pouco tempo que exerce neste posto, (desculpe-me esta pergunta) «já meteu mãos á obra?».


Com certeza que sim. Há uma primei- ra fase que temos de nos inteirar de todo o funcionamento, porque é diferente ser Vogal da Junta, e ser Presidente da mes- ma, o primeiro colabora no funcionamento de todo um grupo, o Presidente tem que decidir, diariamente todo um conjunto de situações de maior ou menor importância, e dar-lhes solução.


O Prémio ARTES está de boa saúde e recomenda-se!


Exactamente, aliás, a nossa Freguesia,


no particular e o Concelho do Seixal no geral, são muito ricos em jovens artistas, que começam a despontar, e por isso, o «ARTES» recomenda-se.


A Festa do Avante é uma mais valia para


todos os Amorense, seguramente. Quais as vantagens?


Para já, a divulgação do nome da terra. A festa do Avante atrai milhares de foras- teiros, e entre eles, muitos vem pela pri- meira vez á Festa e logicamente à Amora, é de facto uma mais valia também para o comércio local e sobretudo o da restau- ração que nestes três, quatro dias, têm a possibilidade de obter mais alguma recei- ta.


Segundo tenho conhecimento, as Fes-


tas da Amora vão ser deslocalizadas? Nada está decidido, mas a conclusão a que chegamos é de que o local até agora utilizado já não é o mais apropriado e até mesmo o” modelo” da Festa deverá ser revisto.


Falemos agora de desporto. Além de


toda a movimentação habitual das várias modalidades, tem à porta o Corta-Mato In- ternacional. Esperam-se novidades? Sim. Como sabe o Cross Internacional da Amora até aqui realizado, requeria um gasto elevado de verba, acrescido devi-


7 Setembro 2011


No Blogue de “O Praticante “em http:/oprati- cante.bloguedesporto.com, poderá ser visualizado o vídeo da entrevista, efectuada por José Carlos Pinto e Henrique Dias


do à manutenção de atletas estrangeiros convidados, e por esse motivo este ano será mesmo e apenas o Corta-Mato Cida- de de Amora, corrido por nacionais, mas com a mesma qualidade de sempre.


Quer deixar uma mensagem a todos os Amorenses?


Acima de tudo, que participem mais, que intervenham mais na vida da própria autarquia. Nós temos muitas oportunida- des de o fazer, não só nas assembleias de Freguesia, que por vezes são pouco participadas, mas também semanalmente e diariamente, o gabinete do presidente está sempre aberto para receber suges- tões, reclamações ou qualquer opinião válida.


È esta mensagem que quero passar a todos os Amorenses e conto com a sua ajuda, para melhorar a sua qualidade, e as condições de vida na Freguesia. Texto / Foto: José Carlos Pinto


Page 1  |  Page 2  |  Page 3  |  Page 4  |  Page 5  |  Page 6  |  Page 7  |  Page 8  |  Page 9  |  Page 10  |  Page 11  |  Page 12  |  Page 13  |  Page 14  |  Page 15  |  Page 16  |  Page 17  |  Page 18  |  Page 19  |  Page 20  |  Page 21  |  Page 22  |  Page 23  |  Page 24  |  Page 25  |  Page 26  |  Page 27  |  Page 28  |  Page 29  |  Page 30  |  Page 31  |  Page 32  |  Page 33  |  Page 34  |  Page 35  |  Page 36  |  Page 37  |  Page 38  |  Page 39  |  Page 40  |  Page 41  |  Page 42  |  Page 43  |  Page 44  |  Page 45  |  Page 46  |  Page 47  |  Page 48  |  Page 49  |  Page 50  |  Page 51  |  Page 52  |  Page 53  |  Page 54  |  Page 55  |  Page 56  |  Page 57  |  Page 58  |  Page 59  |  Page 60  |  Page 61  |  Page 62  |  Page 63  |  Page 64  |  Page 65  |  Page 66  |  Page 67  |  Page 68  |  Page 69  |  Page 70  |  Page 71  |  Page 72  |  Page 73  |  Page 74  |  Page 75  |  Page 76  |  Page 77  |  Page 78  |  Page 79  |  Page 80  |  Page 81  |  Page 82  |  Page 83  |  Page 84  |  Page 85  |  Page 86  |  Page 87  |  Page 88  |  Page 89  |  Page 90  |  Page 91  |  Page 92  |  Page 93  |  Page 94  |  Page 95  |  Page 96  |  Page 97  |  Page 98  |  Page 99  |  Page 100