This page contains a Flash digital edition of a book.
Atletismo 4ª CORRIDA DOS MOINHOS DE PENACOVA


As corridas de montanha têm um encanto especial


Mais exigentes do ponto de vista físico, são sem dúvida mais relaxantes no aspecto psicológico.


A


lberto Almeida terminou os 13,1 km em 54m19s, 5 segundos mais rápi-  de Paiva), com quem dividiu a liderança durante grande parte da prova, com o de- grau mais baixo do pódio a ser ocupado  a 27 segundos do vencedor. No sector feminino Rosa Madureira (N.A. Matosinhos) repetiu a vitória de 2010 saltando assim para a liderança do CIR- CUITO NACIONAL DE MONTANHA 2011 quando faltam 4 provas para o seu final. Seguiram-se-lhe Lídia Pereira (Casa do Povo de Mangualde), já a 4m44s da ven- cedora e Lurdes Monteiro (Casa do Povo de Mangualde), a distantes 7 minutos de Rosa Madureira.


Colectivamente a vitória sorriu à forma- -


peã nacional de corrida em montanha e, uma vez mais, dominadora por completo dos acontecimentos, triunfando com 10 minutos de vantagem sobre o Núcleo de Atletismo de Matosinhos, com o bronze co-  Populares.


O C.D. Asas do Milénium / O Pratican- te esteve representado por Custódio An-   – 1h16m06s, neste momento na geral do Campeonato Nacional de Montanha, Cár- men Pires é a 3ª da geral com 212 pontos, 2ª do escalão Elite F, atrás de Rosa Madu- reira – N.A. Matosinhos – 282 pts e Fernan- da Miranda – A.R.A. Alvelos – 222 pts, Cus- tódio António encontra-se em 7º da geral com 172 pts, 1º do escalão Elite M, sendo a geral liderada por Rui Murça – 264 pts, - ves – 218 pts, todos do F.C. Mogadourense Concluíram a prova 114 atletas aos quais se juntaram 70 caminheiros, participantes numa marcha pedestre não competitiva re- alizada nos trilhos e carreiros traçados ao longo do Mondego.


Início da prova Rosa Madureira Publicidade Alberto Almeida


A Corrida dos Moinhos de Penacova é já um mito e uma referência. Com um per- curso ligeiramente diferente do de 2010, foi uma prova ainda mais estimulante. Com a partida na praia do Reconquilho, os atletas atravessam o rio através da ponte madeira e dão logo início a uma subida pura e dura. Vários foram aqueles que ali logo abando- nam o passo de corrida e optam por ca- minhar, numa lógica de poupar algumas energias, que poderiam vir a ser necessá-


   Setembro 2011 28


Page 1  |  Page 2  |  Page 3  |  Page 4  |  Page 5  |  Page 6  |  Page 7  |  Page 8  |  Page 9  |  Page 10  |  Page 11  |  Page 12  |  Page 13  |  Page 14  |  Page 15  |  Page 16  |  Page 17  |  Page 18  |  Page 19  |  Page 20  |  Page 21  |  Page 22  |  Page 23  |  Page 24  |  Page 25  |  Page 26  |  Page 27  |  Page 28  |  Page 29  |  Page 30  |  Page 31  |  Page 32  |  Page 33  |  Page 34  |  Page 35  |  Page 36  |  Page 37  |  Page 38  |  Page 39  |  Page 40  |  Page 41  |  Page 42  |  Page 43  |  Page 44  |  Page 45  |  Page 46  |  Page 47  |  Page 48  |  Page 49  |  Page 50  |  Page 51  |  Page 52  |  Page 53  |  Page 54  |  Page 55  |  Page 56  |  Page 57  |  Page 58  |  Page 59  |  Page 60  |  Page 61  |  Page 62  |  Page 63  |  Page 64  |  Page 65  |  Page 66  |  Page 67  |  Page 68  |  Page 69  |  Page 70  |  Page 71  |  Page 72  |  Page 73  |  Page 74  |  Page 75  |  Page 76  |  Page 77  |  Page 78  |  Page 79  |  Page 80  |  Page 81  |  Page 82  |  Page 83  |  Page 84  |  Page 85  |  Page 86  |  Page 87  |  Page 88  |  Page 89  |  Page 90  |  Page 91  |  Page 92  |  Page 93  |  Page 94  |  Page 95  |  Page 96  |  Page 97  |  Page 98  |  Page 99  |  Page 100