This page contains a Flash digital edition of a book.
Atletismo ULTRA MARATONA DO ATLÂNTICO MELIDES - TRÓIA


O que eles disseram!!!


na nossa Região, no próprio país e no estrangeiro pelo número de inscrições. A prova está cada vez mais


Carlos Beato (Presidente da C. M. Grândola)


Esta prova já se tornou um


marco muito importante daquilo que é o panorama do desporto,


forte, está cada vez mais impor- tante, e tem sido um elemento muito determinante para a afir- mação da nossa estratégia de Desenvolvimento, importante para o Turismo, importante para as Oportunidades, e nós es- tamos satisfeitos por termos a possibilidade de apostar nesta iniciativa, única em Portugal e na Europa, que como deve sa- ber, só existe comparação na Califórnia (USA) e em Durbin


Paulo do Carmo (Vereador do Desporto da C. M. de Grândola)


... o vento está muito forte, tem prejudicado os atletas, mas vejo com orgulho cen-


Publicidade


tenas de atletas a competir aqui na Ultra Maratona. Que- ro salientar que esta prova é única na Europa e também apraz-me saber que batemos o «record» em inscrição e participação, estamos a inter- nacionalizar a prova, já com a presença de atletas de diver- sos países. Bom, gosto muito de desporto e já o pratiquei, mas por questões profissio- nais, a minha participação é irregular, claro.


A vossa Revista? Sim co- nheço e de facto ela divulga muito desporto e julgo que é um “embaixador” do despor- to em geral.


(África do Sul). Quanto à participação mone- tária na prova, claro que a C.M.  aberta no apoio da Ultra-Marato- na Melides-Tróia, e desde que a contribuição dos patrocinadores seja a de acreditar nas nossas iniciativas, como esta magnífica manifestação desportiva, tudo bem.


Convidarem-me a participar


na Prova? Começava a treinar hoje, já, (risos) porque acho que uma prova com esta dificuldade e com esta dimensão, para um amador como eu, requeria treino


intenso, e aí estaria disponível a transportar esta «bandeira» do Litoral Alentejano, esta «bandei- ra» da Vila Morena, esta «ban- deira» do Desporto, em” prol “ de uma “Causa” que é o Mar, o Desporto, a Ultra-Maratona. Conheço bem a vossa Revis- ta, e felicito-vos pelo trabalho que tem feito, divulgando o des- porto em geral, e esta prova em particular. Ultra-Maratona, 2012, garan-


tida? È muito difícil que o não este-


ja, porque o que é bom, não se deve perder.


Carlos Lopes (Ex-atleta e vencedor da Maratona de Los Angeles)...


Esta é uma prova maravilho- sa, será de certeza um grande


“chamariz” para quem nos visi- ta, tem todas as condições de agradar, mas com o tempo que hoje está aqui, faz sofrer quem corre estes 43 km no areal. Ser padrinho da Prova? Olhe, convidaram-me já há alguns anos e eu tenho dado o melhor que posso e sei. Correr esta prova? Não estou em condições de o fazer, mas já treinei muito na areia. Claro que é mais fácil correr na estrada, que na praia. Sim, a vossa Revista dá a co- nhecer muito do desporto que se pratica em Portugal e assim devem continuar.


Setembro 2011 16


Page 1  |  Page 2  |  Page 3  |  Page 4  |  Page 5  |  Page 6  |  Page 7  |  Page 8  |  Page 9  |  Page 10  |  Page 11  |  Page 12  |  Page 13  |  Page 14  |  Page 15  |  Page 16  |  Page 17  |  Page 18  |  Page 19  |  Page 20  |  Page 21  |  Page 22  |  Page 23  |  Page 24  |  Page 25  |  Page 26  |  Page 27  |  Page 28  |  Page 29  |  Page 30  |  Page 31  |  Page 32  |  Page 33  |  Page 34  |  Page 35  |  Page 36  |  Page 37  |  Page 38  |  Page 39  |  Page 40  |  Page 41  |  Page 42  |  Page 43  |  Page 44  |  Page 45  |  Page 46  |  Page 47  |  Page 48  |  Page 49  |  Page 50  |  Page 51  |  Page 52  |  Page 53  |  Page 54  |  Page 55  |  Page 56  |  Page 57  |  Page 58  |  Page 59  |  Page 60  |  Page 61  |  Page 62  |  Page 63  |  Page 64  |  Page 65  |  Page 66  |  Page 67  |  Page 68  |  Page 69  |  Page 70  |  Page 71  |  Page 72  |  Page 73  |  Page 74  |  Page 75  |  Page 76  |  Page 77  |  Page 78  |  Page 79  |  Page 80  |  Page 81  |  Page 82  |  Page 83  |  Page 84  |  Page 85  |  Page 86  |  Page 87  |  Page 88  |  Page 89  |  Page 90  |  Page 91  |  Page 92  |  Page 93  |  Page 94  |  Page 95  |  Page 96  |  Page 97  |  Page 98  |  Page 99  |  Page 100