This page contains a Flash digital edition of a book.
Kickboxing


“SOMOS UMA REFERÊNCIA NO ESTRANGEIRO”


No decorrer do


Campeonato Nacional de Kickboxing disputado no final do mês de Maio em Miranda do Corvo, aproveitámos um intervalo para entrevistar o Presidente da Associação de Kickboxing do Centro, José Machado.


Uma primeira impressão sobre este evento. Pelo comunicado da Federação julgo saber que esta é a maior prova da competição em termos nacionais com mais de 800 atletas a participar, portanto, para nós foi muito bom trazer este evento para a zona centro, para Miranda do Cor- vo.


Quando é que este campeonato passa a internacional? Nós estamos filiados na Fed. Port. de Kickboxing e Muay


Thai, e porque a FPKBM é filiada na WACO ,que é a Federa- ção Internacional, que gere a modalidade tudo o que seja campeonatos da Europa ou Mundiais, nós responderemos com a nossa participação. Os atletas ao praticarem este desporto estão constante- mente sujeitos a determinadas lesões? Eu digo-lhe que o futebol tem maior números de lesões, mas os atletas estão preparados para essas situações, até porque não é só uma questão de “ataque” mas também de- fensiva, claro que não é um desporto em que nada aconte- ce.


A Associação bate-se com problemas monetários para garantir o seu funcionamento?


É difícil gerir dado que não temos nenhum apoio e a verba


recolhida vem precisamente dos atletas quando se inscre- vem nos diversos clubes. Têm algum meio de informação para cativar os jovens


para este desporto? Ao nível da Região Centro isso não tem funcionado lá mui- to bem, mas tenho conhecimento de que em Lisboa e nos Açores tem havido informação q.b. e há algum interesse ao nível das escolas para fazerem demonstração de Kickbo- xing.


Vi atletas de pouca idade, 8 anos talvez, que ao primei-


ro “assalto” ficavam muito tristes, quase a chorar. Não será cedo demais? Não. Eles começam com a idade certa, e daí é que nas-


cem os grandes campeões. Eles passam por uma aprendi- zagem conforme o escalão etário e além disso estão bem protegidos com capacetes e viseiras, luvas um pouco maio- res e mais almofadadas e isso dá-lhes uma certo auto- es- tima e desde que seja bem canalizado pelos treinadores. Há atletas nacionais a competir no estrangeiro? Sim. Muitos mesmo!


Texto: José Carlos Pinto Julho 2011 50


Soraia Pinheiro e Elisa Malva (Team JP) SÃO AS NOSSAS AGRADÁVEIS LEITORAS


Jimmy Van Damme (Esperança de Lagos) vence Filipe Costa (Dinamite Team) - 1/2 Final Light-Kick -74kg


Ana Pereira do Clube Oriental de Lisboa


Frederico Ferreira sagrou-se Campeão Nacional, com o seu treinador Paulo Ribeiro, e Rita Carvalho colega da equipa KBC Angra do Heroísmo


Page 1  |  Page 2  |  Page 3  |  Page 4  |  Page 5  |  Page 6  |  Page 7  |  Page 8  |  Page 9  |  Page 10  |  Page 11  |  Page 12  |  Page 13  |  Page 14  |  Page 15  |  Page 16  |  Page 17  |  Page 18  |  Page 19  |  Page 20  |  Page 21  |  Page 22  |  Page 23  |  Page 24  |  Page 25  |  Page 26  |  Page 27  |  Page 28  |  Page 29  |  Page 30  |  Page 31  |  Page 32  |  Page 33  |  Page 34  |  Page 35  |  Page 36  |  Page 37  |  Page 38  |  Page 39  |  Page 40  |  Page 41  |  Page 42  |  Page 43  |  Page 44  |  Page 45  |  Page 46  |  Page 47  |  Page 48  |  Page 49  |  Page 50  |  Page 51  |  Page 52  |  Page 53  |  Page 54  |  Page 55  |  Page 56  |  Page 57  |  Page 58  |  Page 59  |  Page 60  |  Page 61  |  Page 62  |  Page 63  |  Page 64  |  Page 65  |  Page 66  |  Page 67  |  Page 68  |  Page 69  |  Page 70  |  Page 71  |  Page 72  |  Page 73  |  Page 74  |  Page 75  |  Page 76  |  Page 77  |  Page 78  |  Page 79  |  Page 80  |  Page 81  |  Page 82  |  Page 83  |  Page 84  |  Page 85  |  Page 86  |  Page 87  |  Page 88  |  Page 89  |  Page 90  |  Page 91  |  Page 92  |  Page 93  |  Page 94  |  Page 95  |  Page 96  |  Page 97  |  Page 98  |  Page 99  |  Page 100