This page contains a Flash digital edition of a book.
Surf, Longboard & BodyBoard


dar algumas braçadas para subir mais rápido. Em geral, não estará mais de dez segundos debaixo de água, porém isto pode parecer uma eternidade, já que isto não tem nada a ver com o banho na banheira de casa; - Se as ondas começarem a ficar maiores do que se acha capaz de suportar, poderá sempre voltar para trás, dirigindo- -se para terra, deitar-se, chegando o seu corpo mais para trás na prancha, remar um pouco e antes da onda chegar ao pé de si, agarrar fortemente nos “rails” da prancha e retornar a terra com a espuma; - Comece sempre o treino com ondas pequenas e vá aos poucos conhecendo os seus limites, aperfeiçoando assim a sua técnica.


Foto de: Pedro S


Foto de: Pedro S


NESTA EDIÇÃO INICIAMOS MAIS UMA SECÇÃO QUE NOS DARÁ A CONHECER ALGUMAS DAS MANOBRAS DO SURF...


Aproveitando a foto de entrada, descrevemos, hoje, uma das mais adoradas no surf: o tubo. Esta é a manobra rainha do Surf, o tubo precisa de uma onda oca (tubular). A diferença entre as outras manobras, é que o tubo não é tanto uma questão de movimento, mas de posicionamento na onda. Depois do “bottom turn” (viragem na base da onda), se estiver numa praia com ondas ocas/tubulares, quando a onda começar a quebrar e não pretender dar uma batida, projectando a sua curva, coloque-se de lado, no sentido para onde a onda estiver a quebrar, mais ou menos na metade da parede da onda. Ficando assim, adiante-se um pouco sobre a prancha para ir mais rápido. Os pés devem estar ligeiramente para o “rail” (o bordo) interior, para que esta se agarre na parede da onda. Quando perceber que a onda se vai quebrar, baixe-se e deixe o “lip” (a crista da onda) envolve-lo, dependendo do seu posicionamento e da maneira como a onda quebrar, conseguirá executar a manobra e sair do tubo.


Importante: dentro do tubo deverá ter uma boa trajectória na onda, não muito alta para ser aspirado por ela e não muito baixo para não receber o impacto da mesma.


Depois desta abordagem deixamos apenas o convite para o mar! Deixem o vosso mundo em tons de cinza e despertem os sentidos…respirem e ousem praticar as modalidades que tanto apreciam do areal, da esplanada, de cima daquele pon-


Foto: Júlio Barreiros Maio 2011 90


tão! Vistam aqueles fatos, aprendam e sintam-se em sintonia com o mar! Na próxima edição… mais novidades esperam por vós!


Page 1  |  Page 2  |  Page 3  |  Page 4  |  Page 5  |  Page 6  |  Page 7  |  Page 8  |  Page 9  |  Page 10  |  Page 11  |  Page 12  |  Page 13  |  Page 14  |  Page 15  |  Page 16  |  Page 17  |  Page 18  |  Page 19  |  Page 20  |  Page 21  |  Page 22  |  Page 23  |  Page 24  |  Page 25  |  Page 26  |  Page 27  |  Page 28  |  Page 29  |  Page 30  |  Page 31  |  Page 32  |  Page 33  |  Page 34  |  Page 35  |  Page 36  |  Page 37  |  Page 38  |  Page 39  |  Page 40  |  Page 41  |  Page 42  |  Page 43  |  Page 44  |  Page 45  |  Page 46  |  Page 47  |  Page 48  |  Page 49  |  Page 50  |  Page 51  |  Page 52  |  Page 53  |  Page 54  |  Page 55  |  Page 56  |  Page 57  |  Page 58  |  Page 59  |  Page 60  |  Page 61  |  Page 62  |  Page 63  |  Page 64  |  Page 65  |  Page 66  |  Page 67  |  Page 68  |  Page 69  |  Page 70  |  Page 71  |  Page 72  |  Page 73  |  Page 74  |  Page 75  |  Page 76  |  Page 77  |  Page 78  |  Page 79  |  Page 80  |  Page 81  |  Page 82  |  Page 83  |  Page 84  |  Page 85  |  Page 86  |  Page 87  |  Page 88  |  Page 89  |  Page 90  |  Page 91  |  Page 92  |  Page 93  |  Page 94  |  Page 95  |  Page 96  |  Page 97  |  Page 98  |  Page 99  |  Page 100