This page contains a Flash digital edition of a book.
Entrevista “SOMOS UMA FREGUESIA JOVEM”


Odete Gonçalves, Presidente da Junta de Freguesia da Amora, concedeu à nossa revista uma entrevista sobre o desporto na Amora. Falou-nos nas ambições, nos projectos e no mérito do árduo trabalho dos colaboradores dos clubes desportivos, que tanto têm contribuído para os bons resultados desportivos.


O Corta Mato de Amora tem sido um ex-libris para a freguesia,


a nível Nacional e Internacional. É uma prova para ter continuida- de nos próximos anos, apesar das dificuldades económicas que se fazem sentir?


Pelo menos neste ano de 2011 irá continuar, pois foi contemplado


no orçamento da Junta de freguesia de Amora e da Câmara Munici- pal do Seixal, pensamos convictamente que seja para continuar ao longo dos anos, visto ser uma prova de renome, que já provou que deve existir. No entanto as contingências económicas/financeiras não nos deixam prever o futuro.


Esperamos que possamos de facto organizar esta belíssima pro- va.


Que benefícios tem trazido à freguesia e ao concelho, a reali- zação deste evento? Tem trazido prestígio para a organização, Junta de Freguesia de Amora e Câmara Municipal do Seixal, para as colectividades e para os atletas do concelho, visto que é este grande colectivo que põe de pé esta prova e fundamentalmente traz prestígio à grande modalida- de que é o atletismo.


Como poderiam ser melhor aproveitados os equipamentos des-


portivos existentes na Freguesia? Os equipamentos desportivos da freguesia estão a ser aprovei- tados o máximo possível, pelo que só desejamos que os clubes e os atletas os dinamizem provocando o seu aproveitamento pleno. Ainda agora requalificámos o ringue do Roque e o do Soeiro Pereira Gomes, ficando com dignidade para a prática desportiva.


A Amora é apontada com uma das freguesias com maior dina- mização desportiva. Qual o motivo desta dinamização? Mais uma vez afirmo que é devido ao dinamismo dos dirigentes das colectividades, dos atletas, dos técnicos e claro das autarquias. Somos uma freguesia jovem com todo esse colectivo que contribui para esse grande projecto desportivo que é o “desporto para todos” e aqui deixo o meu reconhecimento a todos os dirigentes e atletas pelo seu trabalho e dedicação.


Que dizer dos clubes existentes actualmente na freguesia, qual o seu futuro perante a conjuntura económica nacional? Costuma dizer-se “que o futuro a Deus pertence”, nós não pode-


mos prever o futuro, somente afirmar que tudo faremos para ajudar as colectividades, estar ao seu lado, também nós com grandes difi- culdades económicas, fruto da “conjuntura económica referida”. Vamos tentar, tudo por tudo, para que o nosso apoio não falte e para que as colectividades possam seguir o seu caminho.


No concelho do Seixal, surgiram nos últimos anos vários clu- Maio 2011 6


Cargos desempenhados na vida politica e desde quan- do. Presidente da Junta de Freguesia de Amora 1998 – Secretária da Assembleia de Freguesia 1986-1990


Cargos desempenhados na vida civil e respectivos pe- ríodos. Presidente do Clube Recreativo da Cruz de Pau 1993-1997 - Secretária e Vice-Presidente do Clube Recre- ativo da Cruz de Pau 1983-1993


bes, que vieram dinamizar mais o desporto, contribuindo para uma maior divulgação do Seixal a nível Nacional e Internacional. Como vê esta dinamização do desporto no Seixal? Todos não somos demais para dinamizar e divulgar o desporto no nosso Concelho. Claro que vejo com satisfação esta dinamização, no entanto todos temos que estar atentos às necessidades que esses clubes têm e terão para concretizar os seus objectivos, pois como já aqui se sa- lientou mais que uma vez, a situação económica não é favorável e os apoios poderão ser menores.


Quais os projectos desportivos previstos para 2011? Os nossos projectos desportivos para 2011 são: - A Milha Urbana de Amora. - 24 horas de desporto “24 modalidades”.


Nome completo. Maria Odete dos Santos Pires Gonçalves


Page 1  |  Page 2  |  Page 3  |  Page 4  |  Page 5  |  Page 6  |  Page 7  |  Page 8  |  Page 9  |  Page 10  |  Page 11  |  Page 12  |  Page 13  |  Page 14  |  Page 15  |  Page 16  |  Page 17  |  Page 18  |  Page 19  |  Page 20  |  Page 21  |  Page 22  |  Page 23  |  Page 24  |  Page 25  |  Page 26  |  Page 27  |  Page 28  |  Page 29  |  Page 30  |  Page 31  |  Page 32  |  Page 33  |  Page 34  |  Page 35  |  Page 36  |  Page 37  |  Page 38  |  Page 39  |  Page 40  |  Page 41  |  Page 42  |  Page 43  |  Page 44  |  Page 45  |  Page 46  |  Page 47  |  Page 48  |  Page 49  |  Page 50  |  Page 51  |  Page 52  |  Page 53  |  Page 54  |  Page 55  |  Page 56  |  Page 57  |  Page 58  |  Page 59  |  Page 60  |  Page 61  |  Page 62  |  Page 63  |  Page 64  |  Page 65  |  Page 66  |  Page 67  |  Page 68  |  Page 69  |  Page 70  |  Page 71  |  Page 72  |  Page 73  |  Page 74  |  Page 75  |  Page 76  |  Page 77  |  Page 78  |  Page 79  |  Page 80  |  Page 81  |  Page 82  |  Page 83  |  Page 84  |  Page 85  |  Page 86  |  Page 87  |  Page 88  |  Page 89  |  Page 90  |  Page 91  |  Page 92  |  Page 93  |  Page 94  |  Page 95  |  Page 96  |  Page 97  |  Page 98  |  Page 99  |  Page 100