This page contains a Flash digital edition of a book.
Direitos da Criança – 6º B


Princípio 1 - De uma maneira geral, os direitos da criança são também "sinónimo" de deveres que todas as crianças devem ter.


Na minha opinião, cada criança deve ter as mínimas condições de vida (comer, dormir, ir à escola, brincar...) seja qual for a sua raça ou religião. Somos todos iguais e não devemos descriminar as crianças de outra cor. Devemos aceitar a sua classe social e as suas opiniões, porque nem todos pensamos ou agimos da mesma maneira.


Por fim, apelo à igualdade de todas as crianças do mundo para que possam viver felizes, em sociedade, com amor, com saúde, com cultura e união. Francisco 6º B


Princípio 2 - Todas as crianças têm direito de crescer em paz, à medida da sua idade de forma a serem felizes. O seu desenvolvimento físico deve ser trabalhado para terem um bom crescimento.


Devem ser incutidos sentimentos de simplicidade, amizade, boa comunicação social, enfim, uma boa educação e saber respeitar os outros. E saber falar é saber abordar as pessoas convenientemente em cada lugar e situação.


As crianças também devem ter liberdade para pensarem com as suas próprias cabeças com ajuda de um adulto, para as guiar da forma mais correta.


Depois também devem ser ensinadas a ter dignidade pela sua pessoa e agir com dignidade perante os outros, os cole- gas, os pais e os professores. Dignidade perante os outros e respeitar a opinião dos outro. Bruna 6º B


Princípio 4 - Todas as crianças têm de ser apoiadas e protegidas pela sociedade, seja na escola, no centro de saúde, no hospital ou em qualquer outro local a que necessitem de ir. Devem ser sempre protegidas porque são seres frágeis, vul- neráveis e que não se sabem defender sozinhas. Todos os adultos, sejam eles da família ou não, têm a obrigação de cui- dar das suas crianças, de as alimentar para que sejam fortes e saudáveis e de lhes dar abrigo. As crianças precisam do apoio dos adultos, porque sozinhas não conseguem sobreviver.


A sociedade deve ser responsabilizada por todas as coisas más que acontecem com as crianças e nunca devem abando- ná-las, seja em que circunstâncias for. As crianças não têm de ser penalizadas se o mundo está em guerra, porque são seres inocentes que acabam por sofrer sem terem culpa de nada. Guilherme 6º B


Princípio 6 - Todas as crianças têm o direito de ter uma família para poderem contar com ela para o que for preciso e para as amarem, compreenderem e respeitarem.


Se a tua família não te ama, é porque não gosta de ti e não quer nem te dá o amor necessário para o teu crescimento. Se não te compreende, nem sempre podes contar com a tua família para o que precisares e, se não te respeitar, não podes confiar nela nem como pais nem como amigos.


Mas o mais importante de tudo é teres uma família; não interessa se és adotado. O que interessa é que tens alguém que te ama, respeita e compreende. Pedro 6º B


Princípio 7 - Uma criança, quando faz seis anos, tem de ser matriculada na escola pelos pais e não pagar para a frequen- tar. Tem direito de frequentar a escola para fazer amigos de raças ou cores diferentes, para aprender a desenvolver-se e para ser um bom cidadão responsável.


A criança deve respeitar os amigos, colegas e os professores.


O ensino, desde a primeira classe, é muito importante para a nossa evolução como crianças, para o nosso comporta- mento como cidadãos, porque estamos a crescer.


Nós, as crianças, somos o futuro, o amanhã. É importante sermos bem tratados, de igual para igual, orientadas pelos nossos pais que também têm a responsabilidade de cuidar de nós.


As crianças têm o direito à educação, têm direito a ir à escola gratuitamente, a ter amigos, a brincar. A nossa fase de criança é sempre uma surpresa, pois há novas coisas para descobrir, a escola, os amigos e os nossos pais.


A educação das crianças é fundamental para sermos pessoas mais espertas, mais sensíveis, mais compreensivas. Temos de ter os nossos pais a acompanhar-nos nesta viagem, porque eles mostram-nos o que é certo e o que é errado; eles orientam-nos na educação, na oportunidade de sermos cidadãos responsáveis.


Um direito da criança é este: a educação. É um direito que todos deviam respeitar. David + Beatriz 6º B 18


Page 1  |  Page 2  |  Page 3  |  Page 4  |  Page 5  |  Page 6  |  Page 7  |  Page 8  |  Page 9  |  Page 10  |  Page 11  |  Page 12  |  Page 13  |  Page 14  |  Page 15  |  Page 16  |  Page 17  |  Page 18  |  Page 19  |  Page 20  |  Page 21  |  Page 22  |  Page 23  |  Page 24  |  Page 25  |  Page 26  |  Page 27  |  Page 28  |  Page 29  |  Page 30  |  Page 31  |  Page 32  |  Page 33  |  Page 34  |  Page 35  |  Page 36  |  Page 37  |  Page 38  |  Page 39  |  Page 40  |  Page 41  |  Page 42  |  Page 43  |  Page 44  |  Page 45  |  Page 46  |  Page 47  |  Page 48  |  Page 49  |  Page 50  |  Page 51  |  Page 52  |  Page 53  |  Page 54  |  Page 55  |  Page 56  |  Page 57  |  Page 58  |  Page 59  |  Page 60  |  Page 61