This page contains a Flash digital edition of a book.
 guests feel welcomed is essential,” says the designer. “Interior design is an important factor, and if it’s done well, all styles can be beautiful.”


Although interior design is the most visible side of Nini Andrade Silva’s work, painting has taken on an important role in the designer’s life. “Everything is interlinked. The pebbles on Madeira’s beaches have inspired my paintings, but also many of my interior design projects. The Garota do Calhau paint- ings [a name given to underprivileged chil- dren in Funchal] are present in some of the best contemporary art collections and have helped me achieve one of my biggest dreams: to help those that need it most. My parents were teachers and they always helped the school’s more underprivileged children, so since I was a child, I’ve always had a strong connection to good causes. Through my foun- dation, I have numerous plans in this area, including opening a school in Brazil and developing programmes in housing estates.” At a time when the recession doesn’t seem to be loosening its grip on Portugal, Nini Andrade Silva has a pragmatic and con- fident approach, stating that “the Portuguese creatives have to find work abroad and bring it back to Portugal, just like I did. It’s the only way to get ahead, seeing as the national market is small.” She tells us: “I just got a call from a supplier of mine in Malaysia, inviting me to do a hotel with him. And from this project, many others are sure to follow.” 


 cama é a peça mais importante, deve ser de boa qualidade e ter uns lençóis fantásticos. Como estou sempre a viajar, e os hotéis são praticamente a minha segunda casa, a cama desenrola um papel essencial para se descansar após uma longa viagem, mas não é o único elemento a ter em conta num hotel. O brio dos empregados também é muito importante. A energia que transmitem ao efectuarem as diversas tarefas e a forma como


fazem os hóspedes sentirem-se bem-vindos é fundamental”, referindo ainda que “o design de interiores é um factor importante, e desde que bem feito, todos os estilos podem ser bonitos”. Apesar do design de interiores ser a face mais


visível do trabalho de Nini Andrade Silva, a pintura tem assumido um papel de relevo no percurso da designer. “Está tudo interligado. Os seixos das praias madeirenses têm servido de inspiração para os meus quadros, mas também para muitos dos meus projectos de interiores. As pinturas ‘Garota do Calhau’ (nome pelo qual eram conhecidas as crianças mais necessitadas do Funchal) estão presentes em algu- mas das melhores colecções de arte contem- porânea e têm-me ajudado a realizar um dos meus grandes sonhos: ajudar aqueles que mais necessi- tam. Como os meus pais eram professores e sem- pre ajudaram as crianças mais caren cia das da escola, tive desde a minha infância uma grande ligação às causas de beneficência. Através da minha fundação tenho bastantes planos nesta área, incluindo a abertura de uma escola no Brasil e desenvolver acções em bairros sociais”. Num momento em que crise parece não aban- donar a agenda nacional, Nini Andrade Silva apre- senta uma postura pragmática e confiante, referindo que “os criativos portugueses têm de ir buscar trabalho ao estrangeiro e trazê-lo para Portugal, tal como eu tenho feito. É a única forma de se avançar, visto o mercado nacional ser pequeno. Ainda agora recebi uma chamada de um fornecedor meu da Malásia a convidar-me para fazer um hotel com ele... e a partir deste projecto, vão certamente surgir muitos mais”. 


www.essential-portugal.com 58


Page 1  |  Page 2  |  Page 3  |  Page 4  |  Page 5  |  Page 6  |  Page 7  |  Page 8  |  Page 9  |  Page 10  |  Page 11  |  Page 12  |  Page 13  |  Page 14  |  Page 15  |  Page 16  |  Page 17  |  Page 18  |  Page 19  |  Page 20  |  Page 21  |  Page 22  |  Page 23  |  Page 24  |  Page 25  |  Page 26  |  Page 27  |  Page 28  |  Page 29  |  Page 30  |  Page 31  |  Page 32  |  Page 33  |  Page 34  |  Page 35  |  Page 36  |  Page 37  |  Page 38  |  Page 39  |  Page 40  |  Page 41  |  Page 42  |  Page 43  |  Page 44  |  Page 45  |  Page 46  |  Page 47  |  Page 48  |  Page 49  |  Page 50  |  Page 51  |  Page 52  |  Page 53  |  Page 54  |  Page 55  |  Page 56  |  Page 57  |  Page 58  |  Page 59  |  Page 60  |  Page 61  |  Page 62  |  Page 63  |  Page 64  |  Page 65  |  Page 66  |  Page 67  |  Page 68  |  Page 69  |  Page 70  |  Page 71  |  Page 72  |  Page 73  |  Page 74  |  Page 75  |  Page 76  |  Page 77  |  Page 78  |  Page 79  |  Page 80  |  Page 81  |  Page 82  |  Page 83  |  Page 84  |  Page 85  |  Page 86  |  Page 87  |  Page 88  |  Page 89  |  Page 90  |  Page 91  |  Page 92  |  Page 93  |  Page 94  |  Page 95  |  Page 96  |  Page 97  |  Page 98  |  Page 99  |  Page 100  |  Page 101  |  Page 102  |  Page 103  |  Page 104  |  Page 105  |  Page 106  |  Page 107  |  Page 108  |  Page 109  |  Page 110  |  Page 111  |  Page 112  |  Page 113  |  Page 114  |  Page 115  |  Page 116